bg_facebook
bg_twitter
bg_instagram
bg_youtube
bg_whats

Maio Verde: conscientização sobre Doença Celíaca & Maio teal (azul petróleo): conscientização sobre Alergias Alimentares

Vamos falar sobre doença celíaca e alergias alimentares?

Maio verde em alusão a conscientização sobre Doença Celíaca. Maio também é o mês de conscientização sobre as Alergias Alimentares, e a cor utilizada nos Estados Unidos é chamada em inglês de “teal” (azul petróleo ou verde azulado). Em mato grosso a terceira semana de maio é instituída por lei como a Semana Estadual de Conscientização sobre Alergia Alimentar.

 

Doença celíaca e alergias alimentares ainda são pouco conhecidas. O diagnóstico é complexo e isso faz com que, em muitos casos, o processo de investigação seja bastante demorado, o que pode acarretar em agravos a saúde da criança ou do adulto em investigação.

E o que é doença celíaca?

De acordo com um post no IG @riosemgluten, a Doença Celíaca (DC) atualmente é definida como uma desordem sistêmica, crônica, com base imunológica causada pela ingestão de glúten em pessoas com predisposição genética. Se considera desordem sistêmica porque não afeta unicamente o aparelho digestório, mas qualquer outro órgão do corpo, com alterações de suas funções. É comum que existam problemas reumatológicos, endocrinológicos, neurológicos ou reprodutivos. È de caráter permanente, mantendo-se ao longo de toda a vida. Não tem cura.

Onde o glúten está presente?

O glúten é um conjunto de proteínas que estão presentes nos cereais como trigo, cevada, centeio e, por contaminação cruzada na aveia. Assim como todo e qualquer alimento pode sofrer contaminação cruzada, daí a importância da rotulagem de alimentos trazer em destaque a presença ou não de glúten.

O que é alergia alimentar?

No site da ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, Alergia Alimentar (AA) é definida como uma reação adversa a um determinado alimento, envolvendo um mecanismo imunológico com apresentação clínica muito variável, com sintomas que podem surgir na pele, no sistema gastrointestinal e respiratório. As reações podem ser leves, como simples coceira nos lábios, até reações graves que podem comprometer vários órgãos. A alergia alimentar resulta de uma resposta exagerada do organismo a uma determinada substância presente nos alimentos.

Quais alimentos podem desencadear alergia alimentar?

Ainda de acordo com informações do site da ASBAI, qualquer alimento pode desencadear reação alérgica. No entanto, leite de vaca, ovo, soja, trigo, amendoim e castanhas, peixe e crustáceos são os mais envolvidos. A sensibilização a estes alimentos (formação de anticorpos IgE) depende dos hábitos alimentares da população. O amendoim, os crustáceos, o leite de vaca e as nozes são os alimentos que provocam reações graves (anafiláticas) com maior frequência. Os alimentos podem provocar reações cruzadas, ou seja, alimentos diferentes podem induzir respostas alérgicas semelhantes no mesmo indivíduo. O paciente alérgico ao camarão pode não tolerar outros crustáceos. Da mesma forma, pacientes alérgicos à castanha de caju têm maior chance de reagir ao pistache.

Doença celíaca e alergia alimentar são condições muito distintas uma da outra, porém que levam inevitavelmente a necessidade de restrição alimentar, seja do glúten, no caso da doença celíaca ou de qualquer alimento ao qual se tenha alergia. Porém, de uma forma geral, essas restrições alimentares por necessidade são confundidas com dietas de exclusão por opção, em que a pessoa que não come determinado alimento cotidianamente, ao ter contato com ele esporadicamente não sofrerá dano algum, ao contrário do celíaco ou alérgico, em que um pequeno contato ou ingestão acidental podem desencadear desde reações leves até uma anafilaxia, que pode ser fatal.

Com o objetivo de informar a população sobre essas condições de saúde, foi criada a campanha Maio Verde, de conscientização sobre a doença celíaca, e também de conscientização sobre alergias alimentares. E neste ano algumas ações estão sendo programadas e realizadas em todo o país, e em Mato Grosso não poderia ser diferente.

A terceira semana de maio é instituída por lei como a Semana Estadual de Conscientização sobre Alergia Alimentar. Lei nº 1071/2019 de autoria do deputado estadual Dr. Eugênio, que estabelece que ações de conscientização sejam realizadas nesse período pelas secretarias de estado de Saúde e Educação.

Neste ano de 2023, foi realizado um Web Encontro: SES/SEDUC-MT e convidados, no dia 12 de maio. O evento online foi transmitido pela plataforma YouTube da ESPMT e aberto ao público em geral. Contou com a participação de profissionais da saúde, entre eles, a médica alergista Dra. Ana Carolina, que atualmente está como presidente da ASBAI – MT, de representantes das secretarias de saúde e educação do estado, do autor da leis estaduais de apoio aos alérgicos alimentares e celíacos, deputado Dr. Eugênio, além de servidores de municípios de Mato Grosso e mães de alérgicos, que contribuíram com seus depoimentos, relatando suas experiências e desafios com alergia alimentar.

 

 

Hoje, dia 16 de maio, será realizada uma audiência pública sobre Doença Celíaca e demais Desordens Relacionadas ao Glúten (DRGs) na Assembléia Legislativa de Mato Grosso.

Outras ações serão realizadas ao longo do mês, sendo uma delas, uma live pelo instagram @asbaimt, no dia 17 de maio, quarta-feira, às 20h, com o tema: Cura para alergia alimentar é possível? A live terá a participação de quatro médicos. Não perca!

 

 

E para se manter informado sobre todas as ações a serem realizadas ainda neste mês e nos próximos meses, acesse o site livrealimentar.com.br e siga @livre_alimentar no instagram.

Se informe, participe das ações desenvolvidas no seu estado e/ou cidade, e ajude a promover conscientização sobre doença celíaca e alergias alimentares!

Com informação e conscientização se promove inclusão!

Mãe de alérgicos alimentares

Comunicadora em Inclusão Sócio Alimentar

Empreendedora no Livre Alimentar – Comunicação Especializada