bg_facebook
bg_twitter
bg_instagram
bg_youtube
bg_whats

Como você reagiria?

E se fosse com sua família, como você reagiria? 

Fato é que a comunidade de pessoas com alergia alimentar ainda tem muitos assuntos para explorar, debater e um mundo para conscientizar.

Não é raro, ouvir ou ler sobre confusões envolvendo alergia alimentar nas escolas, nos restaurantes, nos hospitais. É isso mesmo! Ainda há confusão entre alergia a proteína do leite de vaca e intolerância a lactose até em unidades de saúde.

Outro ponto importantíssimo, é o dispositivo de adrenalina auto injetável, sendo a adrenalina, única medicação que pode interromper uma reação alérgica grave e salvar vidas, porém o dispositivo auto injetável ainda não tem  regulamentação no Brasil.

Na notícia a seguir, uma confusão envolvendo alergia alimentar, aconteceu dentro de um avião. Leia e responda: Como você reagiria?

Por causa de amendoim, família foi desembarcada de voo da Azul em Minas Gerais

Uma confusão envolvendo amendoim, alergia e pane na aeronave levou ao cancelamento de um voo da Azul para o interior de Minas.

A história começou quando um avião ATR 72 da Azul estava prestes a iniciar o táxi na sexta-feira (27) no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, para decolar com destino a Governador Valadares, cidade do interior de Minas Gerais. Na aeronave lotada, com 70 passageiros, estava uma menina que tinha uma séria alergia a amendoim e viajava acompanhada de familiares.

Segundo passageiros a bordo da aeronave informaram, os adultos chamaram a comissária e alertaram que, devido à alergia da filha, ela não poderia comer o amendoim do serviço de bordo, o qual também não poderia ser servido aos outros passageiros, já que o cheiro do alimento já provoca uma grave crise na criança.

Conforme o relato do youtuber Luiz Carlos Machado, que também contou a história (ver abaixo), a família já tinha informado isso para os comissários no primeiro trecho, de Campinas para Belo Horizonte, que transcorreu sem amendoim e sem outros problemas.

Comandante não quis

Inclusive, a comissária teria informado aos passageiros do segundo voo, para Valadares, que apesar de ser curto conta com serviço de bordo, que não seria servido amendoim devido a uma grave restrição de uma passageira e isso teria sido compreendido por todos os viajantes.

No entanto, o comandante do avião foi informado da situação e, diante da possibilidade de uma crise alérgica da menina apenas com o cheiro do amendoim, pediu para que a família desembarcasse do voo por questão de segurança.

Rádio deu pane

Uma confusão se iniciou a bordo, o que acabou atrasando o voo em torno de meia hora, até que a família finalmente saiu. Sem estes passageiros, o avião seguiu para a pista de decolagem, mas aí surgiu outro problema: um dos rádios deu pane.

Mesmo com um mecânico a bordo, não foi possível resolver o problema e o ATR teve que voltar para o pátio. Neste momento, o comandante já informou aos passageiros que, caso não fosse resolvido rápido, o voo seria cancelado ou iria para Ipatinga.

O motivo é que o Aeroporto de Valadares tem restrições para voos noturnos e, pelo horário de partida (depois das 17h00), não haveria como a aeronave chegar lá antes do pôr do sol ou voltar antes disso.

Por fim, acabou acontecendo a segunda opção, em que a aeronave foi trocada por outra e o voo seguiu para Ipatinga, que opera de dia e de noite e, de lá, os passageiros seguiram via terrestre até Valadares.

https://aeroin.net/por-causa-de-amendoim-familia-foi-desembarcada-de-voo-da-azul-em-minas-gerais/